A tecnologia NFC (Near Field Communication) ou sem contato é uma das mais recentes alternativas de pagamento móvel disponíveis no Brasil. Por meio dela, é possível transmitir dados de forma simples, rápida e prática, apenas aproximando dois itens ou aparelhos habilitados com essa tecnologia de fábrica.

E acredita-se que o NFC continuará a ganhar espaço entre os empreendedores enquanto forma de pagamento de produtos e serviços de baixo valor aquisitivo.

Mas, será que você sabe mesmo como o  que é NFC e como ele funciona para pagamentos? Veja a resposta a seguir.

O que é o NFC?

NFC vem da sigla em inglês Near Field Communication.Trata-se de uma forma de transmissão de dados (protocolo de comunicação) feita em um campo próximo, sem a presença de fios ou cabos. Ou seja, os dois aparelhos envolvidos estão fisicamente próximos um do outro.

Moderninha ProFit

NFC permite pagamento aproximando celular de máquina de cartão

Para que a transmissão de dados aconteça é preciso que ambos aparelhos tenham essa tecnologia de fábrica. A conexão é feita via radiofrequência, sendo preciso que ambos os aparelhos estejam entre 2 e 10 cm de distância – isso pode variar um pouco de acordo com o alcance dos dispositivos móveis. Isso difere essa tecnologia do Bluetooth e Wi-Fi. 

Os aparelhos que mais costumam ter tecnologia NFC hoje em dia são celulares do tipo smartphones, cartões de débito e crédito de chip, máquinas e maquininhas de cartão, além de aparelhos vestíveis, como smartwatches e pulseiras.

Algumas pessoas confundem NFC com a tecnologia MST. É verdade que elas são bem parecidas, mas a segunda funciona por sinal magnético, por exemplo – veja as diferenças entre NFC e MST.

Quais os tipos de NFC?

Existem pelo menos quatro tipos de transmissão NFC:

  • Passiva: apenas gera o sinal de conexão para outro dispositivo.

  • Ativa: envia e recebe dados, opção mais utilizada para compras em lojas.

  • Leitor e gravador: lê, altera e grava novos dados. Este é o tipo de NFC que permite recarregar o Bilhete Único via smartphone em São Paulo.

  • Peer-to-Peer: onde dois aparelhos comunicam-se entre si, semelhante ao que acontece via Bluetooth, porém com menor gasto de energia e de forma muito mais rápida e simples.

Como funciona o pagamento com NFC

O pagamento por produtos ou serviços via NFC acontece de forma simples:

  • O vendedor inicia a solicitação de pagamento no próprio aparelho com tecnologia NFC (seja este um celular ou maquininha de cartão, ou outro).

  • O nome do produto e valor a ser pago aparecerá na tela do aparelho.

  • O cliente aproxima o celular, cartão, pulseira ou outro aparelho também com tecnologia NFC do aparelho do vendedor (e é por isso que essa forma de pagamento é também chamada de “pagamento por aproximação”)

  • Caso seja a transação seja aprovada, o valor será debitado usando o meio de pagamento móvel cadastrado para a operação. 

No caso dos celulares, o NFC funciona em aparelhos com sistema Android, iOS e Windows Phone. É preciso ainda ter instalado aplicativos voltados para confirmação do pagamento.

Este pode ser o Apple Pay, o Android Pay, ou o Samsung Pay, além de diversos apps de bancos, contas digitais e maquininhas de cartão.

No caso de cartão de débito ou crédito, esse precisa ser de chip. Cartões de tarja magnética não conta, com tecnologia NFC. Mas nem todo cartão de chip tem NFC, necessariamente.

É seguro?

Durante o pagamento via NFC, a transmissão de dados é feita em mão única, o que significa dizer que o aparelho receptor não tem acesso a informações confidenciais, como senhas e dados da conta bancária ou da carteira digital. Isso torna a transação muito mais segura tanto para o comprador quanto para o vendedor na comparação com outras formas de pagamento móvel.

Braço com smartwatch

NFC também funciona via aparelhos vestíveis como smartwatches

A proximidade necessária nesse tipo de transação diminui a possibilidade de interferência ou interrupção do sinal, bem como o roubo de dados à distância – é preciso estar bem perto para tentar algo do tipo, o que torna muito mais fácil de notar o que está acontecendo. Além disso, há um limite imposto ao valor desse tipo de transação é bem baixo, tanto por venda qunato por dia e mês.

Porém, a preocupação fica maior em caso de perda ou furto do celular, e com a habilidade técnica de certos fraudadores. Por isso, para evitar problemas causados pela primeira situação, é importante contar com aplicativos que possam apagar os dados do smartphone à distância, e, para ambos os casos, aplicativos que somente autorizam a transação após confirmação via impressão digital.

Outros usos

Ainda que a tecnologia NFC esteja sendo usada mais comumente para pagamentos, ela tem muitas outras aplicações. Por exemplo, ao parear dois celulares, é possível trocar mensagens, contatos e outros pequenos pedaços de informação.

Mão com luva de borracha segurando cartão em frente à maquina de cartão

Pagamento via NFC pode ajudar no combate a doenças

Ela também pode ser usada em conjunto com o Bluetooth e Wi-Fi para agilizar o pareamento de aparelhos. Ou para criar tags  que podem ser usadas para salvar informações como senhas, criar alarmes e automatizar tarefas no celular.

Além disso, a tecnologia NFC vem ganhando espaço por ser uma forma de transmissão de dados limpa, diminuindo a possibilidade de troca de patogênicos, como vírus e bactérias.