A tecnologia NFC (Near Field Communication) ou contacless (sem contato) é uma das mais recentes alternativas de pagamento móvel disponíveis no Brasil. Por meio dela, é possível comprar e vender produtos ou serviços apenas aproximando o celular de um leitor móvel de cartão, de uma máquina de cartão, ou mesmo de outro celular.

Somente no Brasi, 94% dos smartphones já estavam habilitados a usar NFC em 2013, e a expectativa da taxa de crescimento de pagamentos via NFC é de mais de 100% ao ano até 2017 de acordo com dados da Gemalto.

E acredita-se que essa modalidade de pagamento ganhará espaço entre micro e pequenos empreendedores, que atuam na venda de produtos e serviços de pequeno valor, e entre clientes sem conta bancária. Mas, será que você sabe mesmo como o NFC funciona?

Como funciona o NFC?

Ao aproximar o seu celular de um leitor compatível ou de outro celular, a conexão é feita via radiofrequência. Para isso é preciso que ambos os aparelhos estejam entre 2 e 10 cm de distância – isso pode variar um pouco de acordo com o alcance dos dispositivos móveis.

O nome do produto e valor a ser pago então aparecerá na tela do smartphone e, caso seja aprovado pelo cliente, o valor será debitado usando o meio de pagamento móvel cadastrado para a operação.

Uma tecnologia parecida com a NFC é a MST. Mas, apesar de ambas permitirem sem contato, elas funcionam de maneira diferente – saiba mais sobre isso nesse artigo.

Tipos de transmissão sem contato:

Existem pelo menos quatro tipos de transmissão NFC ou contacless:

  • Passiva: apenas gera o sinal de conexão para outro dispositivo.

  • Ativa: envia e recebe dados, opção mais utilizada para compras em lojas.

  • Leitor e gravador: lê, altera e grava novos dados. Este é o tipo de NFC que permite recarregar o Bilhete Único via smartphone em São Paulo.

  • Peer-to-Peer: onde dois aparelhos comunicam-se entre si, semelhante ao que acontece via Bluetooth, porém com menor gasto de energia e de forma muito mais rápida e simples.

Aparelhos compatíveis com contactless

O NFC funciona em aparelhos com sistema Android, iOS e Windows Phone , desde que estes já venham com a tecnologia de fábrica. É preciso ainda ter instalado aplicativos voltados para confirmação do pagamento e para a leitura de códigos de barras (se for o caso).

E de posse de um desses smartphones ou tablets, você poderá usar o Apple Pay, o Android Pay, ou o Samsung Pay, entre outras novidades em NFC que estão para desembarcar no Brasil muito em breve.

Vale ressaltar ainda que essa tecnologia não está restrita a smartphones, podendo ser encontrada também em laptops, TVs e tablets, entre outros equipamentos.

O NFC é seguro?

Durante o pagamento via NFC, a transmissão de dados é feita em mão única, o que significa dizer que o aparelho receptor não tem acesso a informações confidenciais, como senhas e dados da conta bancária ou da carteira digital. Isso torna a transação muito mais segura tanto para o comprador quanto para o vendedor.

A proximidade necessária nesse tipo de transação diminui a possibilidade de interferência ou interrupção do sinal, bem como o roubo de dados à distância – é preciso estar bem perto para tentar algo do tipo, o que torna muito mais fácil de notar o que está acontecendo.

Porém, a preocupação fica maior em caso de perda ou furto do celular, e com a habilidade técnica de certos fraudadores. Por isso, para evitar problemas causados pela primeira situação, é importante contar com aplicativos que possam apagar os dados do smartphone à distância, e, para ambos os casos, aplicativos que somente autorizam a transação após confirmação via impressão digital.

Opções de NFC no Brasil

O NFC já é uma realidade em outros países, enquanto está apenas engatinhando no Brasil. Mas, algumas empresas já oferecem esse tipo de tecnologia sozinhas ou em parcerias com bancos e operadoras de celular.

O Banco do Brasil, por exemplo, já oferece NFC via Ourocard, um dos cartões de crédito oferecidos pela empresa. O Santander inovou ainda mais, e já oferece dispositivos independentes, como pulseira e adesivos capazes de realizar pagamentos por conta de sua tecnologia integrada, além do Santander Way que permite o pagamento de passagens de ônibus via celulares Android.

Além disso, o Itaú Unibanco trabalha no aprimoramento da plataforma para os clientes do banco, sendo que as máquinas da Rede já contam com tecnologia NFC. E o Bradesco também tem buscado firmar a sua parceira com a Visa com o objetivo de introduzir carteiras digitais para sistema operacional Android.