A tecnologia Tap on Phone está ganhando espaço no Brasil recentemente. O amplo número de celulares do tipo smartphone no mercado está garantindo o acesso a essa forma de pagamento, com novas soluções aparecendo regularmente.

Mas, se você já viu esse termo por aí deve estar se perguntando o que Tap on Phone é exatamente e se essa tecnologia é algo em que você pode confiar.

Tudo que é novo gera dúvidas e incertezas. E se você for vendedor não vai querer o risco de acabar não recebendo o valor da venda por usar algo que não conhece muito bem.

Por isso, veja o que já se sabe sobre o Tap on Phone, as vantagens e desvantagens, além do que acreditamos que vai acontecer com essa tecnologia nos próximos anos.

Tap on Phone permite receber cartão no celular

O Tap on Phone permite que você possa receber cartão por meio de um celular do tipo smartphone ou com um tablet. A transação acontece via tecnologia NFC, por isso seu aparelho (Android ou iOS) precisa ter essa funcionalidade.

O cartão de seu cliente também precisa ter a função de pagamento por aproximação (NFC) habilitada. Desta forma, o seu aparelho e o cartão do cliente vão se “comunicar”, permitindo a transmissão de dados.

NuTap recebendo pagamento entre celulares

Soluções Tap on Phone como NuTap permitem pagamento também entre celulares

Como um grande número de brasileiros conta com smartphones e com cartão que realiza pagamento por aproximação, o Tap on Phone tem o que é preciso para se tornar uma forma de pagamento popular. E ela conta com a garantia de segurança das empresas fornecedoras de cartão de crédito.

Essa solução também permite receber pagamento por outros aparelhos com NFC: entre dois smartphones, e entre o smartphone e um aparelho de tecnologia vestível – pulseira, relógio, etc.

Transação acontece por meio de um app

Para funcionar, o Tap on Phone depende de um app criado especialmente para essa forma de pagamento. Isso porque é preciso manter a transação segura e confiável.

É o aplicativo que torna possível a coleta e transmissão de dados, garantindo que o vendedor receba o valor pago e que os dados do cliente não sejam armazenados no celular do vendedor.

Tela de aproximar cartão no TapTon

O app TapTon indica quando aproximar o cartão da tela do celular

Na hora de receber pagamento com Tap on Phone, o vendedor irá digitar os dados da venda no aplicativo e virar o celular para que o cliente veja as informações.

Estando de acordo, o cliente aproxima o cartão dele da tela do celular, confirmando a operação. Ou seja, não se trata de venda digitada.

Por ser realizada em um aparelho móvel, o mais provável é que o recibo seja enviado ao cliente por e-mail ou mensagem de texto (SMS).

Mas é possível conectar uma impressora externa via Bluetooth e gerar comprovante de papel se o aplicativo contar com essa função.

Tap on Phone tem vantagem para vendedores

Apesar de ainda ser uma novidade, pagar e receber pagamento com Tap on Phone já demonstrou que tem várias vantagens:

  • Você, vendedor, não precisa comprar ou alugar uma maquininha para receber pagamento com cartão (desde que o valor seja até o limite liberado para pagamento por aproximação).

  • Você, vendedor, irá pagar taxas que costumam ser mais baratas que as dos outros meios de pagamento.

Para quem paga, o cliente, o Tap on Phone não tem uma vantagem direta, já que não torna o pagamento mais rápido ou mais barato comparado a fazendo o mesmo em uma máquina de cartão.

Tap on Phone tem limitações

Por outro lado, o Tap on Phone não é a solução ideal para todos os tipos de pagamentos. O problema mais óbvio é o fato do pagamento ter um limite de valor, e este é bem baixo: R$200.

Assim, se o produto que você vende custar mais que isso, essa solução de pagamento deixa de ser uma alternativa.

Isso acontece porque essa forma de pagamento, em que o cliente não precisa digitar a senha, é considerada menos segura.

Função Tap on Phone no menu do app SumUp Bank

A função está no menu do SumUp Bank

O limite, determinado pela Abecs (Associação Brasileira de Empresas de Cartões de Crédito e Serviços) garante que, caso o cartão seja roubado, este não seja usado para pagar compras altas.

O seu cliente também pode estranhar e se recusar a aproximar o cartão de seu celular. O Tap on Phone também não é uma boa opção para quem tem alto volume de vendas no cartão, pois o aplicativo pode não suportar alta demanda.

Ela também não é ideal se você não tem um celular de boa qualidade e um pacote de dados confiável. Também pode não ser prático, caso você esteja usando o seu celular pessoal para receber pagamentos.

Algumas empresas já oferecem

No Brasil, a solução Tap on Phone já conta com algumas opções. Uma das primeiras a aparecer foi o TapTon, a alternativa de pagamento da linha de máquinas de cartão Ton, empresa do grupo Stone Co. Este tem o diferencial de permitir o uso por vendedores tanto como pessoa física quanto jurídica.

Já o NuTap, do banco digital Nubank, pode ser usado apenas em conjunto com a conta PJ, mas tem a vantagem de permitir o pagamento também por Pix, além de cartão.

A SumUp também promete liberar a sua solução em breve (SumUp Tap) e divulga que esta será disponibilizada para PJ e PF.

No momento, essa opção só pode ser usada por alguns clientes usurários de maquininhas da empresa e está integrada a outras formas de pagamento encontradas no app SumUp Bank.

Será que vai decolar?

A tecnologia Tap on Phone tem o potencial de se tornar popular no Brasil, considerando que o equipamento necessário (smartphone com NFC) é algo que um grande número de brasileiros têm acesso. A entrada da conexão 5G também deve tornar esse tipo de transmissão de dados mais rápida e confiável.

Por outro lado, há diversos desafios a se considerar, desde como os clientes vão reagir até limitações impostas pelos aplicativos, como uso apenas por quem é PJ.

E quem já tem uma máquina de cartão dificilmente irá fazer a troca, a menos que o Tap on Phone ofereça taxas bem mais em conta. O mais provável é que essa novidade seja usada como alternativa caso a maquininha falhe ou não esteja disponível.

Mas, o principal desafio para o Tap on Phone pode acabar sendo a concorrência com o Pix. Este permite o recebimento de pagamento também por meio do celular. E ainda que a transação seja sem cartão, o número de brasileiros que pagam com o Pix hoje em dia é grande, gerando uma concorrência indireta.