A ideia de ter uma maquininha no celular está crescendo no Brasil e ganhou novo impulso com as transações Pix.

Mas, se você já viu esse termo por aí deve estar se perguntando o que ter uma maquininha de cartão no celular é exatamente e se essa tecnologia é algo em que você pode confiar.

Por isso, veja o que já se sabe sobre essa novidade, como ela funciona, as vantagens e desvantagens, e um pouco do que acreditamos que vai acontecer com essa tecnologia nos próximos anos.

Maquininha no celular pode significar várias coisas

A primeira coisa que você vai precisar entender é que “maquininha no celular” é um termo bem confuso, que pode ser interpretado de várias formas.

Se o que você está buscando é uma maquininha de cartão sem chip que funciona por meio de um app e Bluetooth do seu celular, veja esse artigo com as melhores maquinetas para celular.

Se você quer, literalmente, um aparelho que seja uma máquina de cartão e um celular ao mesmo tempo, vai se desapontar. Haviam dois modelos no mercado, o PagPhone e a Cielo Lio+ mas eles estão fora de linha.

Imagem: © Mobile Transaction

Função NFC no celular Android

A função NFC deve estar ativa em seu Android

Já se o que você quer é uma forma de receber pagamento por meio de seu celular, há algumas possibilidades:

1. Usar uma solução para receber pagamento por Pix ou por meio de QR Code.

2. Usar um aplicativo para passar o cartão por aproximação (NFC) usando a tecnologia Tap on Phone.

3. Fazer uma venda digitada também por meio de um aplicativo.

Neste artigo, vamos nos concentrar nas  soluções do tipo Tap on Phone, começando por suas principais características.

Fazendo pagamento por aproximação por aplicativo

Para ter uma maquininha no celular e, assim, receber pagamento com cartão via Tap on Phone, você vai precisar do seguinte:

1. Um celular do tipo smartphone ou um tablet (Android ou iOS) com tecnologia NFC.

2. Pacote de dados do seu celular para uma conexão à internet confiável – esta pode ser 3G, 4G, 5G ou você pode usar o Wi-Fi

O cartão de seu cliente também precisa ter a função de pagamento por aproximação (NFC) habilitada. Desta forma, o seu aparelho e o cartão do cliente vão se “comunicar”, permitindo a transmissão de dados.

Tela de aproximar cartão no TapTon

O app TapTon indica quando aproximar o cartão da tela do celular

Como um grande número de brasileiros conta com smartphones e com cartão que realiza pagamento por aproximação, o Tap on Phone tem o que é preciso para se tornar uma forma de pagamento popular. E ela conta com a garantia de segurança das empresas fornecedoras de cartão de crédito.

Essa solução também permite receber pagamento por outros aparelhos com NFC: entre dois smartphones, e entre o smartphone e um aparelho de tecnologia vestível – pulseira, relógio, etc.

Transação acontece por meio de um app

Para funcionar, esse tipo de transação depende de um aplicativo criado especialmente para essa forma de pagamento. Isso porque é preciso manter a transação segura e confiável.

É o aplicativo que torna possível a coleta e transmissão de dados, garantindo que o vendedor receba o valor pago e que os dados do cliente não sejam armazenados no celular do vendedor.

NuTap recebendo pagamento entre celulares

É possível também receber pagamento entre celulares

Na hora de receber pagamento, você irá fazer o seguinte:

1. Ative a função NFC do seu celular, se ela já não estiver ativa.

2. Digite os dados da venda no aplicativo

3. Vire o celular para que o cliente veja as informações

4. Estando de acordo, o cliente aproxima o cartão dele da parte de trás do celular (onde está a lente da câmera), confirmando a operação.

Por ser realizada em um aparelho móvel, o mais provável é que o recibo seja enviado ao cliente por e-mail ou mensagem de texto (SMS).

Mas é possível conectar uma impressora externa via Bluetooth e gerar comprovante de papel se o aplicativo contar com essa função.

Maquininha no celular tem vantagem para vendedores

Apesar de ainda ser uma novidade, pagar e receber pagamento aproximando o cartão de um celular já demonstrou que tem várias vantagens:

  • Você, vendedor, não precisa comprar ou alugar uma maquininha para receber pagamento com cartão (desde que o valor seja até o limite liberado para pagamento por aproximação).

  • Você, vendedor, irá pagar taxas que costumam ser mais baratas que as dos outros meios de pagamento.

Para quem paga, o cliente, a maquininha no celular não tem uma vantagem direta, já que não torna o pagamento mais rápido ou mais barato comparado a fazendo o mesmo em uma máquina de cartão.

Mas há limitações

Por outro lado, a maquininha no celular não é a solução ideal para todos os tipos de pagamentos. O problema mais óbvio é o fato do pagamento ter um limite de valor, e este é bem baixo: R$200.

Assim, se o produto que você vende custar mais que isso, essa solução de pagamento deixa de ser uma alternativa.

Isso acontece porque essa forma de pagamento, em que o cliente não precisa digitar a senha, é considerada menos segura.

Função Tap on Phone no menu do app SumUp Bank

A função está no menu do SumUp Bank

O limite, determinado pela Abecs (Associação Brasileira de Empresas de Cartões de Crédito e Serviços) garante que, caso o cartão seja roubado, este não seja usado para pagar compras altas.

O seu cliente também pode estranhar e se recusar a aproximar o cartão de seu celular. O Tap on Phone também não é uma boa opção para quem tem alto volume de vendas no cartão, pois o aplicativo pode não suportar alta demanda.

Ela também não é ideal se você não tem um celular de boa qualidade e um pacote de dados confiável. Estes dois itens são essenciais para que a transação funcione da forma correta.

Também pode não ser prático, caso você esteja usando o seu celular pessoal para receber pagamentos – imagine tentar aceitar pagamento ao mesmo tempo em que alguém está ligando para você no WhatsApp.

Algumas empresas já oferecem maquininha no celular

No Brasil, a maquininha no celular já conta com algumas opções. Uma das primeiras a aparecer foi o TapTon, a alternativa de pagamento da linha de máquinas de cartão Ton, empresa do grupo Stone Co.

Já o NuTap, do banco digital Nubank, pode ser usado apenas em conjunto com a conta PJ, mas tem a vantagem de permitir o pagamento também por Pix, além de cartão. A SumUp também conta com o SumUp Tap, disponibilizado para PJ e PF.

TapTon NuTap SumUp
Tap
Conta PF e PJ PJ PF e PJ
Aparelho celulares e tablets Android com NFC
Débito
(1 dia útil)
1,39% – Mastercard e Visa

2,58% – outros
1,49% 1,9%
Crédito à vista
(1 dia útil)
3,29% – Mastercard e Visa

4,48% – outros
3,19% 3,7%
Parcelado
(1 dia útil)
6,59% a 13,75% – Mastercard e Visa

7,98% a 15,14% – outros
5,49% a 12,49%
Taxa extra Extra: R$0,40 por transação
Outros opções 14 e 30 dias opção 30 dias
Cartão VisaMastercardEloAmerican Express VisaMastercard VisaMastercard

Todas essas soluções aceitam pagamento no débito e crédito à vista, mas o SumUp Tap não faz parcelamento. Todas aceita Visa e Mastercard, mas só o TapTon passa Elo e American Express. Nenhuma delas tem aplicativo para iOS (Apple).

Considerando as taxas com saldo liberado em 1 dia útil, o TapTon tem a taxa mais barata para vendas no débito com Visa e Mastercard. Mas a diferença não é grande na comparação com o NuTap.

Para crédito à vista, a situação é revertida. O NuTap tem melhor taxa mas a diferença não é grande em relação à TapTon. No parcelamento, a vantagem do NuTap é um pouco mais visível.

Observe ainda que a solução da Ton cobra uma taxa extra de R$0,40 por transação. Por isso, a vantagem dela vai diminuir ainda mais.

Como escolher a sua

Se a sua dúvida é qual dessas soluções é ideal para o seu pequeno negócio, leve o seguinte em consideração:

Se for vender como pessoa física, esqueça o NuTap.

Para vender parcelado, esqueça SumUp Tap e prefira as taxas do NuTap.

Para débito e crédito à vista, escolha entre NuTap ou TapTon – a diferença entre as taxas não é grande.

Se você tem iPhone ou iPad, nenhuma dessas opções irá funcionar, você precisará de um celular Android.

Para receber pagamento com Elo ou Amex, escolha TapTon.

É melhor que uma maquininha de cartão?

Depende. Quem já tem uma máquina de cartão dificilmente irá fazer a troca, já que a maquineta oferece outras opções de pagamento, como aceitar cartão de tarja, valores mais altos e integração com com frente de caixa.

O mais provável é que essa novidade seja usada como alternativa caso a maquininha falhe ou não esteja disponível. Principalmente considerando que as mesmas empresas costumam oferecer as duas soluções integradas.

Já quem não tem uma maquineta, precisa considerar a praticidade desse tipo de transação, principalmente se você estiver usado o seu celular pessoal. Se você aceita cartão só de vez em quando e os seus produtos custam menos de R$200, pode valer a pena.