Com o crescimento do comércio eletrônico no Brasil e no mundo, é cada vez maior o número de micro e pequenos empresários interessados em abrir uma loja virtual, mesmo sem uma loja física, e vender produtos e serviços pela internet.

Se você está pensando em abrir a sua, veja a seguir tudo o que você precisa saber antes de começar.

O que há em uma loja virtual?

Pense na loja virtual como um espaço na internet onde são comercializados produtos e/ou serviços, com disponibilidade todos os dias, 24 horas por dia. Ela pode contar com um endereço virtual próprio (www.nomedaloja.com.br) e deve ter todos os principais itens de uma loja física:

  • Fotos e informações sobre os produtos: se for uma blusa, é preciso ter fotos de boa qualidade e descrever qual o tecido, as cores e tamanhos disponíveis, ou seja, tudo o que o cliente saberia se estivesse comprando presencialmente.

  • Preços: informar quanto custa, se há desconto com alguma forma de pagamento, se é possível parcelar, como calcular o frete.

  • Carrinho de compras: o cliente seleciona os itens, “coloca no carrinho” e finaliza a compra com a forma de pagamento escolhida.

É necessário também incluir uma seção “Sobre”, descrevendo o que a loja comercializa, onde está sediada, há quanto tempo está no mercado e qual seu compromisso com o cliente, por exemplo, além de formas de contato. Isso transmite mais confiança.

Como criar uma loja virtual

O empreendedor tem duas formas de criar uma loja no ambiente virtual:

O primeiro caso é mais prático para quem tem pouco conhecimento sobre administração de sites, porém sai mais caro. O segundo caso não requer conhecimentos técnicos, mas o lojista terá que por a mão na massa para criar e administrar a loja, seguindo as instruções da empresa.

Após fazer seu cadastro, o empreendedor define o domínio, que é o endereço da loja na internet. Em seguida, escolhe um modelo pronto de loja virtual – chamado de template – que ele poderá customizar com suas próprias fotos, informações e logomarca.

Como receber pagamentos na loja virtual

As formas de pagamento aceitas é um dos primeiros itens a serem observados na criação de uma loja virtual. Os cartões de crédito são os mais utilizados; porém, algumas lojas têm parte significativa de vendas realizadas com boletos. Há ainda outras modalidades de pagamento, como a transferência bancária online e o cartão de débito.

A segurança do checkout da loja virtual deve ser levada a sério, pois o número de fraudes no ambiente virtual é alto.

A maioria das lojas virtuais semiprontas vem integrada com um intermediador (gateway) de pagamento, que fica responsável por realizar toda a operação de checkout.

Essa é uma forma prática de diversificar os meios de pagamento aceitos, proporcionar mais segurança na compra e ter um controle mais organizado de suas vendas. Em troca, os intermediadores cobram uma comissão sobre as vendas.

Por exemplo: a loja virtual do Uol vem integrada com o PagSeguro e a Shopify oferece, além do PagSeguro, PayPal e Mercado Pago. Para realizar o pagamento, seu cliente precisará ter uma conta no intermediador escolhido. Alguns deles permitem que você gere um link de pagamento, uma solução rápida para fechar vendas pelas redes sociais.

Como entregar o produto

Outra preocupação importante de quem cria uma loja virtual é como fará a entrega dos produtos. Atualmente, enviar pelos Correios por PAC ou Sedex são as opções mais comuns. Em geral, as lojas virtuais oferecem integração com o site dos Correios para cálculo de frete.

Lojas de grande porte também utilizam transportadores e a retirada em uma loja física, sem frete. Restaurantes e outros negócios de pequeno porte podem usar motoboys próprios ou terceirizados.

É importante informar o cliente o prazo de entrega e respeitá-lo, pois o atraso no recebimento é uma das principais reclamações dos consumidores sobre compras online.

Quer uma plataforma para criar uma loja virtual grátis?

Como lidar com estornos e devoluções

Por lei, o consumidor que faz uma compra pela internet tem um prazo de 7 dias (a partir do recebimento) para se arrepender e desfazer o negócio, sendo dispensado de justificativa.

Em casos assim, os valores pagos no cartão de crédito devem ser estornados. Para pagamento com boleto, a saída mais simples é fazer uma transferência bancária para a conta do cliente.

Para que o consumidor devolva o produto, você pode oferecer um código de postagem dos Correios ou providenciar a retirada com uma transportadora ou motoboy.

Faça o registro do produto e emita uma nota fiscal de devolução de venda.

Itens a considerar ao criar uma Loja Virtual

  • Divulgação da marca

  • Checkout

  • Frete

  • Segurança

  • Estorno e devoluções

Você terá de lidar também com outras situações de insatisfação do cliente. Por isso, é fundamental definir a política sobre trocas e devoluções da sua loja virtual, e buscar por formas de lidar com estorno e chargeback.

Segurança: o que a sua loja virtual deve ter

Um requisito essencial para sua loja virtual é o certificado de segurança SSL, aquele cadeado verde que aparece no início da maioria dos endereços de sites. Ele protege a transferência de dados pessoais e de pagamento entre empresa e cliente.

Se você contratar uma loja semipronta, provavelmente o certificado fará parte do pacote de serviços. Se optar por um desenvolvedor, faça a solicitação do serviço.

Ilustração de uma pessoa realizando compra em loja virtual pelo celular, com fundo de uma loja física

A loja virtual leva os seus produtos até o celular do cliente

A segurança do checkout de sua loja virtual deve ser levada a sério, pois o número de fraudes no ambiente virtual é alto. Ao escolher um intermediador de pagamentos, você conta com a confiabilidade da ferramenta.

Caso contrário, a responsabilidade de garantir a segurança das transações é sua. Assegure-se, por exemplo, que o desenvolvedor tem o conhecimento necessário sobre as normas de segurança do PCI DSS.

Analise antes de começar

O comércio virtual mantém trajetória de alta no Brasil, e com isso atrai cada vez mais pessoas interessadas em expandir ou começar um negócio.

Apesar de ser relativamente simples começar a vender online, é preciso ter em mente que é um negócio, trazendo riscos e responsabilidades como qualquer outro.

Antes de começar, planeje como será sua logística, sua política de devoluções e como você vai divulgar sua marca, e escolha com cuidado de que forma você vai criar e administrar sua loja virtual.