Criar uma uma loja virtual pode parecer muito trabalho para um pequeno empreendedor dar conta. Mas, saiba que hoje há diversas ferramentas online que permitem que você comece a vender pela internet em menos de um dia.

Antes, os sites de comércio eletrônico tinham que ser construídos passo a passo, e você precisava reunir o seguinte:

  • Domínio: adquirido separadamente e depois vinculado a um site.

  • Hospedagem: inscrição no espaço virtual de um servidor 24 horas.

  • Certificado SSL: aquele cadeado ao lado da URL, confirmando que é seguro inserir os detalhes de pagamento em seu site.

  • Sistema de pagamento: uma ferramenta de checkout que processa o pagamento do cliente.

  • Sistema de pagamento online: uma ferramenta de checkout que processa o pagamento do cliente.

  • Software de criação de sites: plataforma onde você cria, edita e codifica as páginas do seu site.

  • Templates: layouts pré-criados, os quais você adaptar para criar o design de sua loja.

  • Ferramentas de análise e marketing: botões de compartilhamento em mídias sociais, ferramentas de análises de tráfego, entre outros.

Cada um desses itens pode ser adquirido separadamente para criar um ecommerce do zero. Mas isso requer conhecimento técnico e tempo aprendendo a integrar tudo da forma correta.

Se você deseja criar uma loja virtual o mais rápido possível e sem ter muito conhecimento sobre o assunto, o melhor é usar uma plataforma de comércio eletrônico que oferece tudo (ou quase) isso junto e pré-configurado.

Veja a seguir tudo o que você precisa saber para começar o seu comércio eletrônico amanhã.

1. Defina como você deseja vender online

Antes de criar qualquer coisa, pensa bem sobre exatamente o que você espera de uma loja virtual. Isso irá determinar as etapas que você precisará seguir e permitirá que você economize tempo e dinheiro, identificando a maneira mais fácil de atingir o seu objetivo.

Por exemplo, são também formas de vender online:

  • Listar o seu serviço de comidas e bebidas no Just Eat, Deliveroo, Uber Eats ou outras plataformas de delivery.

  • Criar um link de pagamento e distribuí-lo por e-mail, WhatsApp ou nas mídias sociais

  • Fazer venda digitada por telefone ou outro meio de comunicação não-presencial

  • Vender em uma página no Facebook

  • Vender no Etsy, eBay, Mercado Livre, Amazon e outros marketplaces

  • Adicionando uma página de venda no site que você já tem

  • Construindo sua própria loja virtual com checkout integrado

Cada uma dessas opções tem demandas diferentes, as quais irão afetar desde o formato final até o seu sistema de entregas. Vamos ver a seguir o que fazer no caso da loja virtual.

2. Escolha uma plataforma para loja virtual

Se você ainda não possui um site, o primeiro passo é escolher uma plataforma de comércio eletrônico completa e alinhada ao seu tipo de negócio.

Os construtores de lojas virtuais mais fáceis e que podem funcionar para a maioria dos tipos de negócios incluem:

SoluçãoO que éPreçoLink
Loja VirtUolLoja completa, checkout PagSeguro, integração com os Correios, Mercado Livre e outrs. (análise Loja Virtual do Uol)a partir de R$59,90
R$29,90/mês
WixConstrutor versátil, com função arrastar e soltar, e vários recursos extras (análise Wix)grátis-R$60/mês
ShopifyMais templates, layouts profissionais, integração com frente de caixa e diversas opções de checkout (análise Shopify)US$29/mês-US$299/mês
SoluçãoO que é
Loja VirtUol

a partir de R$59,90
 R$29,90/mês

Loja completa, checkout PagSeguro, integração com os Correios, Mercado Livre e outrs. (análise Loja Virtual do Uol)
Wix

grátis-R$60/mês

Construtor versátil, com função arrastar e soltar, e vários recursos extras (análise Wix)
Shopify

US$29/mês-US$299/mês

Mais templates, layouts profissionais, integração com frente de caixa e diversas opções de checkout (análise Shopify)

Loja VirtUol, Wix e Shopify são algumas opções, mas você pode encontrar outras opções entre as melhores plataformas para a sua loja virtual.

Há também soluções gratuitas, porém, estas apresentam diversas limitações. Com o  tempo, à medida que você vende mais pela internet, você vai acabar pagando pelo serviço.

O importante é que você escolha uma que você considera o uso mais simples para você, aquela que faça a maior parte do trabalho sem necessidade de conhecimento técnico.

Já tem um site e quer adicionar um carrinho de compras?

Nesse caso, você não precisa criar um novo site a partir do zero. Alguns provedores de comércio eletrônico permitem adicionar uma seção de loja ou botões de compra a um site existente, fazendo deste uma loja virtual. Aqui estão algumas opções:

3. Compre um domínio

Domínio é o endereço da Internet (URL) do seu site. Muitas plataformas de comércio eletrônico oferecem uma URL gratuita. Esta é suficiente para uso temporário, mas, geralmente, contém o nome da plataforma. Ou seja, parece promocional e pode fazer alguns pensarem que seu negócio não é “sério”.

Por isso, é altamente recomendável comprar um domínio que inclua a sua marca. Mas pense em algumas variações para o caso do nome já estar em uso. As URLs que terminam com .com.br geralmente são os mais populares, mas há muitas outras opções para escolher.

A maioria das plataformas de comércio eletrônico permitem que você faça isso usando o próprio serviço. Ma,s se você já comprou um domínio, é possível vinculá-lo ao criador de sites que você escolheu. Basta buscar pelas instruções específicas.

4. Configure as formas de pagamento

Muitas plataformas de comércio eletrônico incluem um sistema de pagamento integrado com taxas de transação por vendas realizadas. Essa é de longe a opção mais fácil para quem precisa vender imediatamente, pois você só precisa registrar seus dados bancários e comerciais através de um formulário online simplificado.

Você, geralmente, tem a opção de adicionar vários métodos de pagamento, como boleto, cartão de crédito e de débito. A quantidade de opções depende do que a plataforma oferece e, em alguns casos, se você pode instalar manualmente um outro checkout (mas, para isso, é preciso ter conhecimento técnico).

5. Decida sobre a forma de entrega

A configuração das opções de entrega é crucial para planejar como você fornecerá os produtos ou serviços adquiridos. Os produtos físicos, geralmente, são entregues pelos Correios, mas podem haver alternativas.

Já quem vende produtos virtuais ou serviços profissionais, provavelmente, precisará de um sistema de reservas no site, em vez de opções de entrega e retirada. Seminários online, conteúdo de vídeo e consultas virtuais ou presenciais podem precisar de um processo de pagamento diferente.

6. Crie as páginas da sua loja virtual

A maioria dos criadores de comércio eletrônico recomenda que você escolha um tema (design do site) antes de criar páginas individuais. Para isso, você pode usar os templates gratuitos ou pagos incluídos na ferramenta que você escolheu.

As opções pagas costumam ser mais avançadas e profissionais. No entanto, uma loja online básica raramente exige um tema pago.

Ainda assim, verifique se você pode alterar o tema posteriormente, sem precisar reconstruir as páginas do zero (pode criar, isso é bastante comum).

Crie as páginas essenciais para começar a vender online rápido

O template que você escolhe deve estar alinhado com a sua marca. O layout das páginas também deve ser adequado para exibir os produtos que você quer vender.

Por exemplo, se você vende apenas dez produtos, apresentados em lindas fotos, é uma boa ideia escolher um tema minimalista, que acomode fotos grandes. Se você estiver vendendo serviços profissionais, talvez não precise de fotos, e sim de uma lista de preços parecida com o menu de restaurante.

Depois que selecionar o template, você pode editar o layout das páginas, e incluir outras, se precisar. A seguir, estão as páginas essenciais da maioria dos sites de comércio eletrônico:

  • Página inicial
  • Sobre nós
  • Produtos
  • Contato

Você pode adicionar um blog ou outro conteúdo posteriormente. Mas os itens acima são suficientes para começar. Lembre que você também vai precisar de um menu e de um rodapé.

Se o template tiver páginas desnecessárias, você poderá excluí-las (e adicioná-las mais tarde, se passarem a ser úteis).

Inclua também os termos e condições de seus serviços, bem como informações sobre devoluções e entregar. Se você não tiver isso pronto, pode incluir depois. Desde que você exiba detalhes ou um formulário de contato, seus clientes poderão falar com você diretamente se tiverem dúvidas.

7. Adicione produtos e imagens

Depois de configurar as páginas principais da sua loja virtual, passe para a configuração da sua página de Produtos. Nela, você poderá adicionar informações importantes, tais como:

  • Fotos
  • Descrição do Produto
  • Categoria
  • Variantes (por exemplo, cor, tamanho)
  • Preço

Esta é a parte em que você pode acabar passando mais tempo – depende inteiramente de você quanto tempo e detalhamento você incluir em sua listagem de produtos. Se você deseja algo simples, comece com o básico:  nome do produto, variantes, preço e uma frase descrevendo o mesmo.

Fotos são importantes, mas você pode substitui-las depois

Fotos podem realmente melhorar as chances de vender, assim como o contrário. Algumas plataformas de lojas virtuais permitem que você envie fotos diretamente do seu celular. Se você tiver tempo, vale a pena tirar fotos de seus produtos em uma área bem iluminada, de diferentes ângulos.

Mas não é preciso atrasar o processo buscando perfeição. O que você quer é que o seu cliente consiga visualizar seu produtos da melhor forma possível.

8. Publique e teste a loja virtual

A publicação da loja virtual é a etapa mais rápida: basta clicar no botão “publicar”. A parte mais longa dessa etapa é o que acontece depois: quando você testa a aparência das páginas em dispositivos móveis. Hoje em dia, muita gente compra pelo celular, por isso  é importante que sua loja virtual funcione bem nesses aparelhos.

A maioria das plataformas de comércio eletrônico criam lojas responsivos em telas pequenas, o que significa dizer que o layout e o conteúdo se adaptam automaticamente ao tamanho da tela. Isso garante que o conteúdo e as páginas sejam legíveis e tenham boa aparência em qualquer celular.

Loja virtual em diversos dispositovos

É importante que a sua loja virtual funcione bem em qualquer equipamento

Por fim, tente fazer uma compra em sua loja virtual para verificar se o checkout está funcionando bem. E, se possível, peça a opinião de outras pessoas antes de começar a promover o seu comércio eletrônico para o público em geral.

9. Promova seu negócio

Agora que sua loja virtual está ativa, é hora de contar para o mundo. Se você já possui perfis de mídia social, o primeiro passo é divulgá-la nessas plataformas. Se não tiver, crie perfis e páginas naqueles que seus clientes potenciais costumam frequentar. E lembre de acionar botões de mídia social na sua loja virtual.

Algumas opções são:

  • Página no Facebook: nelas, as pessoas pesquisam informações comerciais e verificam se é uma empresa legítima. Pode também ser usada para suporte ao cliente via Messenger.
  • Grupo do Facebook: ideal para serviços profissionais que exigem um espaço mais privado para se conectar com os clientes.
  • Instagram: Popular entre jovens consumidores (usado por 67% das pessoas de 18 a 29 anos nos EUA), ótimo para fotos e conteúdo de vídeo.
  • Pinterest: bom para arte, criatividade e produtos físicos, como jóias, design de interiores e alimentos.
  • Perfil do Twitter: bom para a maioria das áreas de negócios, mais popular entre as pessoas de 18 a 49 anos, pode ser usado para suporte ao cliente.
  • LinkedIn: interessante para quem vende produtos para empresas.

É certo que leva tempo para criar uma base de clientes, e é por isso que é melhor começar a compartilhar seu site com pessoas que já compram de você. O boca a boca percorre um longo caminho na conquista de novos clientes.

Portanto, o foco na melhoria do sistema de entrega, pedidos e reservas, bem como dos produtos em si, pode, indiretamente, atrair novos clientes quando os existentes começarem a recomendar a sua loja.

No longo prazo, vale a pena investir na otimização da loja virtual para mecanismos de busca (SEO). A maioria das plataformas de criação de lojas virtuais fornece configurações básicas de SEO. Estas permitem, por exemplo, que você edite as descrições das páginas mostradas nos resultados de pesquisa do Google e adicione tags para ajudar os usuários a encontrar produtos específicos.