O dropshipping facilita a criação e gestão de um negócio de vendas pela internet. Não à toa, muitas pessoas têm se interessado em iniciar um negócio seguindo esse modelo no Brasil. No entanto, antes disso, é importante compreender algumas definições básicas e a forma como ele funciona na prática.

Neste artigo, explicamos o que é dropshipping e como ele funciona no Brasil. Além disso, mostramos as diferenças entre dropshipping nacional e internacional, bem como as vantagens e desvantagens em cada caso.

O que é dropshipping: definição básica

O dropshipping é um modelo de negócio no qual o vendedor comercializa produtos sem mantê-los em estoque próprio. Em vez disso, os produtos permanecem no estoque do fornecedor e são enviados diretamente ao cliente após a compra.

Ou seja, nesse modelo, o vendedor não precisa se preocupar com a gestão de estoque nem com o envio dos produtos, reduzindo em muito o seu papel na cadeia logística. Desse modo, pode dedicar-se melhor à parte comercial, investindo mais tempo e recursos em marketing, atendimento ao cliente e estratégia de vendas.

Processo de compra, venda e entrega do dropshipping

Estoque e entrega são realizados diretamente pelo fornecedor no dropshipping

O dropshipping é um modelo utilizado em lojas virtuais. Em um primeiro momento, o vendedor recebe e processa o pedido online. Em seguida, faz a encomenda ao fornecedor, que fica responsável por entregar o produto ao cliente.

Esse processo é facilitado, atualmente, pela existência de diversas ferramentas para dropshipping, como, por exemplo, o plugin Oberlo na loja virtual Shopify, além do Modalyst, Printful ou Printify na Wix Stores.

O termo ‘dropshipping’ vem do inglês e nasceu da união de duas palavras: ‘drop’, que significa ‘largar’, e ‘shipping’, que pode ser traduzida como ‘envio’ ou ‘remessa’. Portanto, o significado do termo aponta para a principal característica desse modelo: o fato de o vendedor deixar para o fornecedor a tarefa de envio dos produtos para os clientes.

Vantagens do dropshipping

Devido ao seu modelo descentralizado, o dropshipping traz uma série de vantagens para quem quiser atuar nessa área. Podemos destacar, por exemplo:

  • Baixa exigência de investimento: uma vez que não precisa investir em estoque, você economiza muito dinheiro na hora de montar o seu negócio de dropshipping. Afinal, a formação de um estoque costuma demandar um alto investimento na compra do produto e na sua gestão.

  • Menor custo operacional: o dropshipping também gera uma redução de outros custos operacionais, como aqueles decorrentes do envio dos produtos para os clientes. Esse dinheiro pode ser destinado, então, à área de vendas, bem como ao marketing e ao atendimento aos clientes.

  • Flexibilidade para trabalhar: dependendo do tamanho do seu negócio e do volume de vendas, é possível até mesmo trabalhar de casa, como uma empresa de uma pessoa só. Mesmo que você tenha funcionários, eles poderão trabalhar todos online, em muitos casos.

Desvantagens do dropshipping

É claro que também há alguns pontos que afastam diversos empreendedores do modelo de dropshipping. As principais desvantagens desse tipo de negócio são:

  • Baixa margem de lucro: ao abrir mão de boa parte das atividades relativas à comercialização do produto, como a gestão de estoque e a remessa dos produtos, o dropshipper também diminui sua margem de lucro. Afinal, boa parte da receita das vendas acaba servindo para cobrir os custos maiores do fornecedor.

  • Menor controle sobre o negócio: o vendedor que atua com dropshipping perde o controle do que ocorre após a venda. Ou seja, depende de um fornecedor confiável para que o produto seja entregue no prazo e em boas condições. Problemas nesse sentido podem causar prejuízos financeiros e à marca da loja.

Para obter uma margem de lucro considerável, é preciso negociar com o fornecedor e saber precificar o produto. O modelo de dropshipping também exige o máximo de cuidado do vendedor ao escolher fornecedores, bem como um monitoramento eficaz dos tempos de entrega e do feedback dos clientes.

O que é dropshipping nacional?

O dropshipping nacional é o modelo de negócio no qual o fornecedor está situado no mesmo país do vendedor – no exemplo que nos interessa, ambos estão no Brasil.

App Oberlo na loja de apps Shopify

O dropshipping permite escolher entre diversos produtos

Atualmente, o mercado brasileiro não conta com muitas opções para dropshipping nacional, em comparação com a grande quantidade de fornecedores no exterior.

No entanto, já é possível encontrar fornecedores especializados no Brasil. Exemplos disso são o MixBarato, especializado em roupas, a Importados de Grife, especializada em produtos de alto padrão, e a Ponto Mix Import, com foco em produtos eletrônicos.

Vantagens do dropshipping nacional

O prazo de entrega menor, que tende a favorecer as vendas e reduz o risco de atrasos.

Outro benefício é a maior facilidade para negociar com o fornecedor e estabelecer com ele uma relação de confiança, devido à proximidade geográfica, ausência da barreira do idioma e facilidades do ponto de vista legal.

Por fim, o vendedor tem um controle melhor sobre a qualidade do produto.

Desvantagens do dropshipping nacional

Menor número de fornecedores no mercado interno. Nesse contexto, o vendedor tende a encontrar uma variedade menor de produtos.

Além disso, devido à baixa concorrência interna, os preços podem ficar acima dos praticados por fornecedores estrangeiros.

O que é dropshipping internacional?

O dropshipping internacional, por outro lado, é o modelo de negócio no qual o fornecedor e o vendedor não estão no mesmo país. Ou seja, neste caso, o produto é vendido em um país, mas remetido de outro.

Os primeiros vendedores de dropshipping no Brasil utilizavam apenas fornecedores estrangeiros, principalmente da China. Afinal, como este modelo de negócio nasceu fora do país, só mais tarde surgiram os primeiros fornecedores locais. Ainda hoje, o dropshipping internacional é o método mais utilizado.

Vantagens do dropshipping internacional

Imensa oferta de fornecedores experientes em diferentes países, o que proporciona uma maior variedade de produtos e preços mais favoráveis. Muitos fornecedores obtêm ganhos de escala consideráveis ao trabalhar com um grande número de revendedores. A maior concorrência também tende a achatar os preços.

Desvantagens do dropshipping internacional

Prazos de entrega, custos alfandegários e oscilações do câmbio.

Além disso, o vendedor costuma enfrentar uma dificuldade maior na negociação com o fornecedor e no controle de qualidade do produto.

Dropshipping é legal no Brasil?

O dropshipping é totalmente legal no Brasil. Apesar de ser um modelo de negócio relativamente novo e de não contar com uma regulação específica, o dropshipping pode ser exercido sem qualquer problema, obedecendo a uma série de regras comuns a outras atividades comerciais.

Obviamente, é necessário formalizar o negócio – ou seja, ter um CNPJ. O dropshipping é considerado uma forma de intermediação de negócios. Nesse sentido, você deve selecionar a atividade de Comissária de Despachos (5250-8/01) conforme a Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE).

Então, você precisará cumprir as obrigações relativas à venda de produtos nacionais e internacionais. Isso inclui, claro, o pagamento de todos os impostos referentes à atividade. Além disso, é preciso deixar claro para os clientes que a venda ocorre na modalidade dropshipping – ou seja, que eles receberão o produto de um terceiro.