Como vender e receber pagamentos de clientes estrangeiros é uma dúvida na cabeça de muitos pequenos empreendedores. Enquanto empresas de maior porte contam com estrutura para cuidar das variações cambiais e taxas envolvidas, quem ainda está dando os primeiros passos pode não se sentir seguro nesta jornada.

Porém, é possível fazer isso acontecer sim. Segundo dados do Sebrae e Funcex, cerca de 10 mil micro e pequenas empresas brasileiras exportaram em 2017. Este número parece baixo, porém representa 40,8% das empresas vendendo para fora do país no mesmo período. É também um dado 11% maior do que o do ano anterior.

Assim, é possível que você também entre para esse time. Mas, para fazer isso acontecer, é preciso que você comece a usar os recursos que vamos explicar a seguir.

Venda em um marketplace de alcance internacional

Segundo pesquisa do Sebrae, burocracia administrativa e complexidade dos procedimentos de exportação estão entre os dois pontos apontados por micro e pequenos empreendedores como principais entraves às suas exportações. Estes foram mencionados por 44% e 39% dos entrevistados, respectivamente.

Para driblar esse problema, uma boa solução é vender produtos em marketplaces, uma espécie de shopping online.

Eles cuidam da estrutura da página de vendas, das taxas, e do pagamento para você.

Em troca, você paga um valor mensal pelo uso e manutenção do serviço, e uma taxa sobre cada venda realizada.

Existem diversas opções de marketplaces no Brasil, como Submarino e Mercado Livre.

Mas, se você quer alcançar clientes estrangeiros, crie sua loja virtual em uma das opções que são populares fora do Brasil, como Amazon ou eBay.

44%

microemprendedores consideram burocracia administrativa como maior entrave às exportações

39%

apontaram a complexidade dos procedimentos de exportação como maior dificuldade

Também fique atento a marketplaces especializados. E Etsy, por exemplo, é o favorito de artesãos e artistas. Serviços de imagens stock, como Shutterstock, Adobe Stock e iStock aceitam fotos e ilustrações de qualquer lugar do mundo.

Use um serviço de transferência internacional

Receber moeda estrangeira pelo banco custa caro e pode demorar um tempo. E a maioria dos clientes estrangeiros não está disposto a arcar com as taxas envolvidas. Assim, o ideal é você usar um serviço de transferência internacional para receber dinheiro do exterior.

Isso funciona assim:

  • Você gera uma fatura pelo serviço e envia a mesma por e-mail para o seu cliente

  • O cliente recebe o link com a solicitação de pagamento e segue as instruções da tela

  • O dinheiro é liberado na sua conta virtual

  • Você transfere o dinheiro da conta virtual para o seu banco

Entre os serviços disponíveis, o mais usado pelos estrangeiros para negócios é o PayPal. Existem outras opções, mas é essa que vai lhe dar maior credibilidade, já que o seu uso é bastante simples e não é preciso ter uma conta com eles para fazer o pagamento.

Fique de olho nas tendências

Para ter sucesso internacionalmente, é importante levar em consideração que tipo de produto gera interesse entre estrangeiros. E, neste caso, você está com sorte, pois as opções são bem diversificadas.

“Vestuário para mulheres e meninas”, “Calçados, suas partes e componentes” e “Pedras preciosas ou semipreciosas, trabalhadas” foram os itens que fizeram mais sucesso nas exportações de 2016, cada um representando com 3,1% do valor total. Estes foram seguidos de “Móveis e suas partes, exceto médico-cirúrgicos” (2,4%) e “Produtos de perfumaria, toucador e preparações cosméticas”, (2,2%).

Principais Produtos Exportados por Microempresas em 2016

Fonte: Sebrae

Principais Produtos Exportados por Microempresas em 2016

Fonte: Sebrae

Como você pode perceber, a participação de cada tipo de produto é bastante limitada. E isso significa dizer que o mercado está aberto à diversidade.

Entrega não é feita só pelos Correios

Se você vende produtos físicos, como roupas e utensílios domésticos, outra questão a se considerar é como enviar esses artigos para o exterior. E a solução mais comum é usar os serviços Exporta Fácil dos Correios, como o Sedex Mundi Mercadoria, SEM-Mercadoria Expressa, Leve Internacional ou Mercadoria Econômica.

Porém, é possível também usar os serviços de outras empresas, as quais foram habilitadas pelo governo como Operadores Logísticos – você encontra uma lista com alguns deles no site da Associação Brasileira de Operadores Logísticos. Estes não só fazem a entrega do seu produto, mas podem recolhê-lo de volta em caso de desistência. Neste caso, são eles os responsáveis por todos os trâmites burocráticos envolvidos no transporte.

Faça uso dos recursos financeiros

Mas, exportar tem um custo e este pode ser alto. Por isso, é importante que você conheça e faça uso dos recursos oferecidos pelos órgãos governamentais para tornar a sua tarefa mais simples.

Vale a pena buscar pelo apoio do Sebrae. Esse órgão conta com time especializado no apoio ao empreendedor que começa a vender no exterior.

Por exemplo, poucos empreendedores, mesmo aqueles que já exportaram, conhecem o Simples Internacional.

Este garante facilidades comerciais e cambiais para micro e pequenas empresas que desejam vender para o exterior.

O FAT Exportar do BNDES é outro recurso financeiro disponível. Este disponibiliza dinheiro para capital de giro e compra de insumos para a produção de produtos exportáveis com índice de nacionalização igual ou superior a 60%.

Por fim, se a questão é que você nem sabe por onde começar, vale a pena buscar pelo apoio do Sebrae. Esse órgão conta com time especializado no apoio ao empreendedor que começa a vender no exterior.

Não sabe como vender online? Veja como começar aqui.