O QR Code é uma tendência mundial como forma de pagamento, e não só entre empresas. O Banco do Brasil, por exemplo, irá adotar o QR Code no sistema de pagamentos instantâneos a partir de 2020.

No entanto, apesar do cenário promissor, ainda existem desafios para que o Brasil utilize o QR Code de maneira massiva, como explica o professor de Inovação do Departamento de Administração da Universidade de Brasília (UnB), Antônio Isidro.

Isidro aponta que, entre os principais obstáculos estão: a falta de informação, de confiança nessa nova forma de pagamento e a ainda baixa utilização da tecnologia pelos empreendedores.

Serviço bancário digital precisa ser ampliado

“O Brasil tem alguns desafios para implementar de forma ampla o QR Code como forma de pagamento. As principais são a bancarização, o cenário econômico atual, a qualidade da internet e a confiança do consumidor.”

Segundo o professor da UnB, o Brasil ainda está muito concentrado nos grandes bancos e os pequenos operadores financeiros continuam vinculados a eles.

“Por isso, é preciso aumentar a oferta de serviços bancários digitais, para que as pessoas possam estar amplamente conectadas para fazer as transações.

Vantagens do QR Code

  • Redução dos custos

  • Facilidade das operações

  • Simplificação das transações

  • Maior segurança contra fraudes

Desafios do QR Code

  • Falta de informação do consumidor

  • Insegurança do consumidor

  • Baixo uso pelos empreendedores

  • Qualidade da internet

Acesso à internet precisa melhorar

Outro desafio para o país é aumentar o acesso à internet de qualidade, fundamental para que o QR Code possa ser de fato utilizado como forma de pagamento de produtos e serviços.

“Esse fator ainda é deficitário em algumas regiões do país. Em muitos locais, a internet não é de qualidade e nem de fácil acesso, e isso impede que operações com o QR Code sejam feitas em um ambiente de maior segurança”, acrescenta Isidro.

Consumidor precisa acostumar-se com o QR Code

Além disso, existe o entrave do perfil atual do consumidor brasileiro, que não sabe bem como funciona o QR Code.

“O uso do QR Code é simples, do ponto de vista tecnológico, já que é fácil usar o celular para escanear o código. Mas, por outro lado, como o consumidor ainda não tem amplo acesso à essa tecnologia, ele se sente inseguro em utilizá-la”, explica o professor.

Para Isidro, é preciso que o consumidor brasileiro tenha confiança em realizar uma operação financeira não tradicional, como é o caso do QR Code.

Onde o QR Code é comum:

  • Europa

  • Japão

  • China

“Boa parte da população brasileira ainda não tem contato com essa tecnologia e, por isso, é natural que ela resista na hora de usar o QR Code”, conclui.

Há demanda e interesse por QR Code

O fato é que, mesmo com esses entraves, o uso do QR Code como forma de pagamento já é um desejo dos brasileiros.

Um estudo realizado em abril de 2019 pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) e pela AGP Pesquisas Estatísticas, intitulado “O uso de QR Codes e Apps como meio de pagamento“, apontou que 82% dos comerciantes pretendem utilizar a opção do QR Code como meio de pagamento em suas lojas físicas.

Além disso, segundo o estudo, já existe um número significativo de transações financeiras realizadas com essa tecnologia no Brasil: 17% das compras feitas em lojas físicas no país já são feitas por meio do QR Code.

QR Code tem vantagens como meio de pagamento

A demanda e o interesse com relação ao QR Code podem ser explicados pelas facilidades e garantias que essa tecnologia oferece tanto para o empreendedor quanto para o consumidor.

Segundo o professor Isidro, o diferencial do QR Code é que se trata de uma tecnologia mais segura, que reduz custos e facilita as operações.

Comerciantes no Brasil que pretendem usar QR Code

Meio de pagamento usado em loja física

Comerciantes no Brasil que pretendem usar QR Code

Meio de pagamento usado em loja física

De acordo com Isidro, com o QR Code, é possível simplificar as transações de recursos financeiros, já que essa tecnologia elimina intermediários financeiros como, por exemplo, as maquininhas de cartão de crédito.

Também por isso, essa tecnologia é responsável por baratear os custos das transações, que são altos quando utilizados cartões e dinheiro em espécie.

Além disso, o código gerado pelo QR Code é único e permite que se insira mais informações relevantes, diferentemente do que ocorre com o já conhecido código de barras. Como consequência, o QR Code oferece uma maior segurança contra fraudes.

Exemplo que vem de fora

Prova da eficiência do QR Code é a utilização em massa do mesmo como nova forma de realizar transações financeiras em países europeus, além de Japão e China.

“A China foi um bom laboratório para o Brasil e para o mundo, porque mostrou que o QR Code é uma tecnologia robusta e segura, que facilita as transações financeiras, reduz os custos e minimiza o percentual de fraudes”, pontua o professor.

Falta informação e confiança

De acordo com o estudo da SBVC/AGP Pesquisas, o QR Code está, ao lado dos aplicativos, entre os meios de pagamento que as pessoas mais gostariam de utilizar.

No entanto, essa nova forma de pagamento ainda não é utilizada em larga escala porque as pessoas ainda “não conhecem” ou “não sabem como usar” o QR Code.

Pessoa escaneando com celular o QR Code de tomates em uma bancada de legumes

QR Code pode eliminar o uso de maquininha de cartão

O professor da UnB acredita que esse entrave pode ser superado caso o QR Code passe a ser utilizado pelas grandes instituições financeiras.

Para o professor, se tecnologias como o QR Code começam a ser adotadas pelos grandes operadores financeiros, em breve, o usuário se sentirá seguro para utilizar esse meio de pagamento em serviços e produtos, seja em padarias ou até em uma clínica de estética.

Banco Central e Itaú apostam no QR Code

Por isso, o fato de o Banco Central pretender usar o QR Code como forma de pagamento para o sistema de pagamentos instantâneos, que será lançado em 2020, é visto como ponto positivo pelo professor.

“Em um ambiente de baixa competitividade entre os bancos, como ocorre no Brasil, a implementação de novas formas de transações financeiras, como o QR Code, vai permitir que novos atores passem a atuar, entregando novas soluções e soluções mais baratas”, pontua Isidro.

Outra iniciativa que pode ajudar a aumentar o uso e a confiança do empreendedor e do consumidor sobre o QR Code está sendo desenvolvida pelo banco Itaú.

Segundo a pesquisa da SBVC/AGP Pesquisas, o banco Itaú prepara-se para lançar, ainda esse ano, uma plataforma de pagamentos que utiliza tecnologia QR Code e pode ser utilizada por clientes de todos os bancos.

Uma transação financeira é baseada na confiança com os provedores de serviços, como os bancos, por exemplo. Ou seja, se os bancos começam a adotar esse tipo de pagamento com QR Code, o usuário vai se sentir mais confiante.

– Antônio Isidro, professor de Inovação da UnB

Para as pessoas físicas, esse tipo de sistema vai funcionar como uma carteira digital, bastando criar uma conta no próprio aplicativo.

Dessa forma, poderão ser feitos pagamentos em lojas cadastradas, transferências para outros usuários, quitação de boletos, cadastramento de cartão de crédito, entre outras funções.