A cada início de ano, lojistas e profissionais de marketing saem em busca de informações sobre o que será tendência nos meses seguintes no mundo digital. O rápido avanço tecnológico e a ampliação da base de consumidores requerem mudanças constantes nas lojas virtuais, nas ações de marketing e nas páginas das redes sociais.

E quais são as tendências que prometem impactar os e-commerces brasileiros em 2019? Um levantamento da Nuvem Shop, empresa de plataformas de e-commerce, revelou três delas: geração Z e vídeo marketing; consolidação da vendas pelas redes sociais; e a Era da Assistência.

Veja abaixo cada uma das tendências e os possíveis impactos destas na sua loja virtual.

Geração Z pede ações em Vídeo Marketing

A Geração Z é formada pelas pessoas nascidas a partir do ano de 2001. Segundo estatísticas da ONU, ela representará 32% da população mundial em 2019, superando a geração dos millennials (nascidos entre a década de 1980 e o ano 2000), com 31,5% do total.

Essa nova geração difere da anterior em alguns aspectos. A geração Z é a primeira dos nativos digitais, ou seja, daqueles que não sabem como era o mundo pré-internet. Estes jovens são autênticos e buscam liberdade de expressão. E eles encontram nas redes sociais o melhor canal para isso, principalmente por meio de vídeos.

Não por acaso o YouTube tornou-se o segundo maior destino para consumo audiovisual no Brasil, segundo pesquisa do Google, ficando apenas 3 pontos percentuais atrás da líder, a TV Globo. As pessoas buscam no YouTube, e em outros canais de vídeo, conteúdos que não são oferecidos pela televisão, qualquer que seja o tema de interesse.

Ilustração de um vídeo mostrando uma garota no smartphone

Vídeos alcançam um maior número de pessoas, especialmente os mais jovens

A conclusão é clara: para alcançar um número maior de clientes, você precisa investir em vídeos e publicá-los nas redes sociais da sua loja virtual. Se o seu público é jovem, é fundamental que você faça isso o quanto antes.

Mas que tipo de vídeo publicar?

  • Tutoriais, por exemplo, costumam render ótimos resultados. Um dos conteúdos mais buscados na internet é sobre como fazer alguma coisa.

  • Se você trabalha com acessórios femininos, pode gravar vídeos ensinando como usá-los de forma criativa e como combiná-los com a roupa e a ocasião.

  • Se o seu negócio é uma confeitaria, você pode ensinar receitas rápidas para ajudar aquelas pessoas que precisam improvisar uma sobremesa no domingo.

  • Vídeos sobre os bastidores também despertam a curiosidade do internauta. Mostre o seu processo de produção, o seu local de trabalho e as pessoas que garantem o sucesso da sua empresa.

  • Passou por alguma dificuldade? Compartilhe a experiência e como você deu a volta por cima. Quando sentir mais segurança invista também nas transmissões ao vivo, uma excelente oportunidade de se aproximar do seu público.

Vendas pelas redes sociais buscam consolidação

Dar uma olhada no celular antes de dormir, conferir o celular ao acordar. Estas atividades já tornaram-se hábito para muita gente. E, na maioria dos casos, a “conferida” tem destino certo: as redes sociais.

Com tanta gente usando as redes sociais, era certo que o comércio também estaria presente por ali. Primeiro com as páginas das empresas, depois com anúncios, e agora com a possibilidade de vender diretamente nesses canais.

Atentas ao comportamento do consumidor, 21% das empresas ouvidas no levantamento da Nuvem Shop começaram a priorizar vendas sociais em detrimento de outros canais em 2018.

Ilustração de diferentes pessoas olhando para o celular em suas mãos

Mídias Sociais são o destino mais comum na hora de dar uma “conferida” no celular

Parece pouco, mas observe a taxa de crescimento semestral: no primeiro semestre de 2018, o índice mensal mais alto foi de 21,2%; no segundo, o maior percentual chegou a 25,6% – crescimento de 4,4%.

O grande destaque positivo é o Instagram. Com 59% da preferência entre as redes sociais, registrou um aumento de vendas de 12,7% do primeiro semestre de 2018 para o segundo. Na direção oposta, o Facebook iniciou o ano com 55,2% e fechou com 33,2% – uma queda de 22%. O YouTube é explorado por somente 3% dos lojistas.

Além do visual mais amigável para compras, mudanças promovidas pelo próprio Instagram explicam esse crescimento. Em março de 2018, a empresa lançou o recurso Compras. Alguns meses depois, ampliou as possibilidades de comércio pelo aplicativo com a introdução de figurinhas nos Stories e nos vídeos do feed. As novidades permitiram que os usuários pudessem ver informações sobre um produto com mais facilidade.

Vendas por Rede Social (2018)

Fonte: Nuvem Shop

A tendência de comprar via redes sociais tem influenciado no crescimento das compras por meio do smartphone, o chamado m-commerce. Cerca de 48% dos jovens brasileiros usam o smartphone para fazer compras, segundo pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) feita em julho de 2018.

O aumento do m-commerce se reflete no levantamento da Nuvem Shop com os lojistas virtuais: as compras pelo smartphone e tablet ultrapassaram pela primeira vez os números do desktop: 53,8% contra 46,2%. Em 2017, os números foram 45% e 56%, respectivamente.

Além de cada vez mais usado para concretizar a compra, o celular cumpre um papel importante nas etapas de pesquisa, comparação de preços e até de pagamento.

Era da Assistência passa por IA e análise de dados

Este conceito pode parecer novo, mas a ideia é simples: o consumidor de hoje busca recomendações personalizadas. Em meio a tanta informação e um universo de possibilidades, ele precisa de ajuda para tomar uma decisão.

Na análise da Nuvem Shop, a Era da Assistência é vista como uma espécie de sequência do famoso omnichannel, a integração das experiências online e offline que foi assunto em 2018.

Com o objetivo de auxiliar o consumidor em sua jornada, empresas de tecnologia, como o Google, têm utilizado inteligência artificial e análise de dados para identificar o perfil e as preferências do usuário.

Ilustração de um homem de costas olhando para dados em uma tela

Inteligência Artificial ajuda a analisar dados e vender mais

Netflix, Spotify e Amazon recomendam filmes, músicas e produtos diversos com base naquilo que vemos e compramos. Os departamentos de marketing de grandes empresas investem em inteligência artificial para compreender melhor o consumidor e o que ele está procurando naquele momento.

Estas novas tecnologias ainda são caras e inacessíveis para a maioria dos pequenos negócios. Porém, há ferramentas consolidadas que podem ajudar a definir melhor o perfil do cliente, como análises de compras, produtos mais vistos e perguntas feitas nas redes sociais.

Invista nas novas tendências em sua loja virtual

Acompanhar tendências de consumo e pesquisas é uma prática fundamental para que o empreendedor conheça melhor os hábitos e a jornada de compra dos consumidores.

Quanto melhor você conhecer o cliente, mais fácil será oferecer o que ele precisa e, assim, concretizar as vendas. Isso é especialmente importante em um momento em que as pessoas apoiam-se cada vez mais em recomendações personalizadas.

Usar mais vídeos nas redes sociais e garantir que seu e-commerce esteja adaptado para smartphones e tablets são outras iniciativas necessárias para atingir uma parcela maior de potenciais clientes em 2019.

Interessado em saber sobre as tendências em meios de pagamento? Confira esse artigo.