Se você está pensando em começar a vender produtos ou serviços pela internet, deve ter se deparado com diversos termos novos, muitos deles em inglês. E isso pode causar certa confusão.

Dois termos que trazem dúvida é e-commerce e loja virtual. São a mesma coisa? Preciso de qual deles? O que preciso saber sobre eles? É isso o que vamos responder a seguir.

O que é e-commerce?

E-commerce vem do inglês e significa comércio eletrônico. Ou seja, refere-se a qualquer transação comercial que acontece por meio eletrônico, seja este um computador, notebook, tablet ou celular.

Tela mostrando botão de pagamento PayPal

E-commerce envolve alguma forma de pagamento online ou presencial

Para algo ser chamado de e-commerce é preciso que haja pagamento envolvido. Assim, o seu site na internet ou página nas redes sociais não é e-commerce por si só.  Se você apenas apresenta o que você faz e disponibiliza uma forma de contato, não é e-commerce.

Mas, se você apresenta seus produtos e serviços em um meio eletrônico e oferece uma forma de pagamento aos seus clientes (mesmo que essa seja offline, por exemplo, pagamento na entrega com maquininha de cartão), aí sim, é comércio eletrônico.

O que é loja virtual?

Loja virtual é uma forma de divulgar e vender produtos e serviços na internet. Tudo acontece de forma automaticamente e seu cliente cuida do processo sozinho.

Uol é uma das opções para criar e hospedar a sua loja virtual

Ou seja, a loja virtual é um site, com uma ou mais páginas, que seu cliente pode acessar para visualizar produtos e serviços, escolher os que quer, criar uma ordem, definir a forma de entrega e fazer o pagamento (ou optar por uma pagamento presencial, se disponível).

Para ter a sua, você precisará de uma solução para criar e hospedar a loja virtual. Mas, a boa notícia é que há diversas opções no mercado brasileiro, inclusive gratuitas.

Mas, qual a diferença entre e-commerce e loja virtual mesmo?

É assim: toda loja virtual é e-commerce, mas existem outras formas de se fazer e-commerce além da loja virtual. Você pode vender pelo WhatsApp, pelo Facebook, ou qualquer outra rede social com um link de pagamento. Isso é e-commerce, mas não é uma loja virtual.

Na loja virtual, o cliente vai clicando em botões e realizado a compra sozinho. Tem acesso a todos os seus produtos de uma vez só, como se tivesse entrado em sua loja física e começasse a olhar cada estante e display.

Ilustração mostrando uma mão segurando um smartphone com a tela mostrando criação de link do PagSeguro para pagamento, ao lado do símbolo de diferentes redes sociais

Link de pagamento é e-commerce, mas não é loja virtual

Nas redes sociais, por exemplo, o mais provável é que você participe mais diretamente do processo de compra, e que seu cliente tenha acessoa  apenas um, ou poucos, produtos de cada vez.

Além disso, uma loja virtual é um site independente, e não algo dentro de outra plataforma. Assim, marketplaces como Mercado Livre também não são lojas virtuais, apesar de serem uma forma de e-commerce.

De qual deles preciso então?

Isso depende do seu cliente. E nada impede que você tenha os dois. Como foi dito, a loja virtual é apenas uma das formas de vender produtos na internet. Você pode, possivelmente, vender os mesmo produtos também nas redes sociais, em marketplaces, por e-mail, e outras formas de e-commerce.

Por que abrir uma loja virtual?

O que importa é você identificar como e onde o seu cliente prefere comprar na internet e oferecer essa opção para ele. Considere também a sua própria habilidade de gerenciar e manter a loja virtual (ou outro tipo de e-commerce) em funcionamento. Há ainda custos envolvidos, e eles são diferentes em cada caso.