Foi em 2008 que Rodrigo Franzol decidiu abrir a sua própria loja de departamento, a AMR Presentes, localizada em Saltinho, São Paulo, após a pequena distribuidora da família ter sido fechada.

A empresa hoje comercializa diversos produtos, como eletrodomésticos, brinquedos, presentes para casamento, colchões, smartphones, entre outros, e conta com uma máquina sem fio Cielo há nove anos para o recebimento de pagamentos com cartão.

Rodrigo adquiriu a máquina da Cielo por necessidade

Desde que iniciou o seu negócio, Rodrigo percebeu a necessidade da aquisição de uma máquina de cartão.

Ainda que a maioria das suas vendas seja via boleto ou crediário próprio – o famoso carnê, ele conta que 25% de suas vendas é realizada no cartão.

“Infelizmente,  não é todo mundo que tem cartão na nossa cidade, e a gente tenta vender por crediário próprio. Mas a maioria dos bons pagadores tem cartão. Então, se você vende no cartão, você recebe. O cartão hoje é uma necessidade, na verdade”, explica.

Analisei outras opções, mas, como parcelo muito, ao fazer as contas não dá muita diferença. Então, achei melhor ficar com a Cielo.

– Rodrigo Franzol

Aluguel da máquina é a grande desvantagem

Quando questionado sobre as vantagens e desvantagens de usar uma máquina da Cielo, Rodrigo enfatizou que acha a tarifa mensal de aluguel muito alta. “Eu acho injusto pagar as taxas de débito e crédito, e ainda o aluguel”, disse. “O aluguel deveria ser um valor irrisório. Acho que deveriam pensar um pouquinho mais no comerciante”.

Rodrigo Cielo sem fio

Rodrigo com a sua Cielo sem fio

“Eles fazem algumas promoções com base na média de vendas. Se bater esse valor, você não paga o aluguel. Mas, às vezes, este teto é muito alto”.  Rodrigo também afirma que alguns comerciantes de sua cidade estão mudando para a Moderninha do PagSeguro, com a qual eles não pagam o aluguel, pagam apenas pela maquininha.

Apesar da desvantagem do aluguel, e mesmo outras máquinas já tendo sido oferecidas para ele, Rodrigo prefere ficar com a Cielo, pois as tarifas de débito e crédito são menores.

“Eu também analisei outras opções, mas como parcelo muito, ao fazer as contas não dá muita diferença, porque as taxas de antecipação, débito e crédito são maiores. Então, achei melhor ficar com a Cielo”.

Bom atendimento ao cliente é ponto positivo

Rodrigo não comparou com outras máquinas antes de adquirir a Cielo. O Banco do Brasil lhe ofereceu a máquina e ele aceitou, e a mesma chegou rapidamente e sem problemas.

Ele também afirma que os valores são repassados corretamente e sempre dentro do prazo estipulado pela Cielo. Além disso, é uma máquina muito difícil de dar problemas, e quando acontece é rapidamente resolvido. “Passou, recebe tudo certinho. Bobina vem se pedir. Difícil dar problema. Eu tive um problema há pouco tempo e foi rapidamente resolvido”, relata. Quando ele quis trocar pela sua máquina atual sem fio, a mudança também foi realizada prontamente.

Nenhuma venda deixou de ser realizada por causa da bandeira do cartão. “Eu acredito que a Cielo aceite quase todas as bandeiras. Hipercard não aceitava e agora aceita”.

Quer saber mais sobre as máquinas da Cielo? Então continue lendo aqui.